• Notícias
SP: aluguel desacelera e apresenta menor alta desde março de 2010

Os contratos de locação assinados em setembro na cidade de São Paulo ficaram 0,2% mais altos do que os firmados no mês anterior, de acordo com pesquisa do Sindicato da Habitação (Secovi-SP) divulgada nesta quarta-feira. Nos últimos 12 meses, a variação positiva foi de 10,3%, o menor percentual desde março de 2010, quando o índice aumentou 10,02%.

Segundo o vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi-SP, Walter Cardoso, a demanda por imóveis para alugar vai continuar sendo muito mais alta que a oferta na capital devido à escassez de incentivos para que as pessoas invistam em imóveis para locação. Mas a a redução do valor acumulado, observada desde junho, pode indicar uma tendência à estabilização de preços no médio e longo prazos, diz o vice-presidente.

Apesar da desaceleração no crescimento, os aluguéis continuam tendo desempenho superior ao dos indicadores de preço como o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que variou 5,28% nos últimos 12 meses e o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), que corrige a maioria dos aluguéis e subiu 8,07% no período.

Conforme a assessoria de imprensa do sindicato, em setembro, os imóveis que tiveram maior aumento foram os de 1 quarto, com alta de 0,4%, seguido dos imóveis de 2 dormitórios (0,2%) e dos de 3 quartos, que não subiram no período.

A garantia mais utilizada foi o fiador, escolhido por 48% dos inquilinos, seguido do depósito de até três meses de aluguel (31,5%) e o seguro fiança (20,5%). No mês de setembro, as casas foram alugadas mais rapidamente do que os apartamentos, com locação realizada num período médio de 13 a 31 dias. Os apartamentos demoraram de 19 a 39 dias para serem locados, conforme a pesquisa.

FONTE: SITE TERRA

Notícias Relacionadas
  • Ver todas as notícias
  • 25/04/2013
    Cerâmica do Minha Casa, Minha Vida pode..
    Ler notícia
  • 25/04/2013
    Preço de imóveis desacelera, e BC diz..
    Ler notícia
  • 25/04/2013
    Imóveis no Brasil seguem mais valorizados do..
    Ler notícia
  • Ver todas as notícias